FIV Babble

Indo sozinho. Quando você não tem um parceiro, mas quer um filho

O que você faz se decidir que quer ser mãe, mas não tem um parceiro?

Esta é uma pergunta que cada vez mais mulheres se perguntam hoje devido a tantos fatores. Parece que o aumento dos aplicativos de namoro levou a uma diminuição dos homens que estão preparados para se comprometer com a paternidade. Para algumas mulheres, porém, elas simplesmente querem ir sozinhas. Seja qual for a sua situação, você tem opções.

Nos voltamos para a equipe em Clinica Tambre para responder às nossas perguntas sobre as opções que as mulheres solteiras têm para se tornar mãe.

P: Você oferece aconselhamento para garantir que o paciente está tomando a decisão certa? Se uma jovem de, por exemplo, 25 anos viesse até você, você a trataria ou ofereceria aconselhamento para discutir a possibilidade de congelamento de óvulos?

R: (Dra. Esther Marbán) Se a paciente quiser engravidar, iremos informá-la sobre as diferentes opções reprodutivas que ela tem. Se ela decidiu ser mãe naquele momento, não a desanimaríamos, mas também daríamos ampla informação sobre o congelamento de óvulos para que ela possa tomar a decisão que melhor lhe convier.

P: Se a paciente é uma mulher, como ela escolhe seu doador de esperma? Como você prossegue com a seleção de doadores? O Fenomatch pode ser usado?

R: (Saul Mizrahi, Coordenador de Assistência ao Paciente) A Lei de Reprodução Assistida na Espanha especifica que os doadores são completamente anônimos. Isso significa que o processo de seleção é feito pela equipe de especialistas e pelo médico que conduzirá a seleção, com base na compatibilidade do grupo sanguíneo e nas características físicas.

O segundo aspecto declarado na lei é que os doadores devem se parecer com a mãe transportadora, portanto, além das características físicas que o paciente anota no formulário, a tecnologia Fenomatch é usada para rastrear os doadores pré-selecionados, garantindo ao doador o maior valor. pontuação de acordo com semelhanças fenotípicas biométricas.

P: Quais testes são realizados?

R: (Saul Mizrahi, Coordenador de Atenção ao Paciente) Na primeira consulta, o médico indicará os exames que considerar necessários para garantir o melhor diagnóstico e plano de tratamento. A Clínica Tambre está focada em oferecer um plano de tratamento personalizado, pois cada paciente é único. O ultrassom e o AMH são essenciais para descobrir a reserva ovariana, e além dos exames básicos como hemograma, sorologias e exames hormonais, o médico pode sugerir exames especializados de acordo com cada caso.

P: O paciente teria IUI ou FIV? (Você pode explicar a diferença?)

R: (Dra. Esther Marbán) Dependendo da idade da mulher, seu histórico médico e exames anteriores, sugeriríamos IUI ou FIV.

A IUI é normalmente recomendada para mulheres jovens com reserva ovariana normal e trompas de falópio normais. O tratamento começa com a menstruação. A paciente é submetida a uma leve estimulação ovariana com o objetivo de produzir 1 ou 2 folículos. Essa estimulação levará entre 10-12 dias. Após verificar o crescimento dos folículos e a espessura endometrial, a paciente fará uso de medicamento para ovular e a IUI será agendada para 36 horas depois. O doador de esperma deve ter sido selecionado previamente e a amostra de esperma é preparada 2 horas antes da realização da inseminação, que não é dolorosa.

A FIV também inclui estimulação ovariana, mas as doses são maiores, com o objetivo de atingir uma resposta ovariana ideal de acordo com a idade e a reserva ovariana da mulher. A duração é a mesma que em IUI. Após o uso da medicação para ovular, a retirada do óvulo é realizada 36 horas após, sob sedação. Os óvulos retirados serão fertilizados no mesmo dia para a produção de embriões. Os embriões são deixados em cultura por 5-6 dias até atingirem o estágio de blastocisto. Nesse estágio, o embrião de melhor qualidade seria transferido e os outros embriões de boa qualidade que fossem, seriam congelados para o futuro. A transferência do embrião não é dolorosa e não requer anestesia.

P: A fertilização in vitro é cara?

R: (Dra. Esther Marbán) Dependerá da idade e da reserva ovariana da mulher e, claro, do tratamento que decidirmos realizar, que pode ser inseminação artificial ou FIV (seja com óvulos próprios ou de doadores). Cada caso é tão específico e são tantos os fatores que o custo pode variar entre 1470 € e 12395 €.

P: Quantas mulheres solteiras você tem procurado para tratamento? Você já viu esse número aumentar?

R: (Inge Kormelink, CEO da Tambre) Nos últimos 5 anos, o número de mulheres solteiras que procuram nossa clínica tem aumentado continuamente, atingindo aproximadamente 100 mulheres em 2018.

P: Existe um limite de idade? Você trataria uma mulher com mais de 45 anos se seus ovos fossem viáveis?

R: (Dra. Esther Marbán) Na Espanha, o limite de idade é de 50 anos, mas a decisão de aceitar uma mulher idosa depende de cada clínica, pois a lei não proíbe a clínica de tratá-las. Devido à baixa reserva ovariana, baixa qualidade dos óvulos e elevado número de embriões com alterações cromossômicas em mulheres com mais de 45 anos, o melhor tratamento a ser feito é a doação de óvulos. Mulheres com mais de 45 anos devem ser informadas sobre as baixas taxas de gravidez e de aborto espontâneo, caso a paciente decida tentar a fertilização in vitro com seus próprios óvulos.

Se você é uma mulher solteira pensando em seguir sozinho, existem alguns grupos de apoio incríveis por aí, incluindo A cegonha e eu que oferece um senso de comunidade para mães sozinhas em todo o mundo, ajudando as pessoas a se sentirem menos sozinhas em sua situação. O site da Stork and I tem uma seção chamada histórias de mãe solo. Este espaço foi projetado para incentivar as mulheres a compartilhar suas histórias de sua jornada para a maternidade individual. 

IVFbabble

Adicionar comentário