Mulher vende sua casa para ter um bebê de FIV dos sonhos

Três anos atrás, Daisy De foi informada de que ela tinha 0.1 por cento de chance de ter um filho devido a ela endometriose diagnóstico

Agora, com 27 anos, ela segura sua linda filha, Hope, em seus braços.

Daisy estava decidida a que seu diagnóstico não a impedisse de ter o bebê que ela queria - e nós a aplaudimos.

A babá solteira vendeu sua casa para arrecadar £ 50,000 para Tratamento de fertilização in vitro, e a aposta valeu a pena quando ela deu à luz Hope em junho de 2020.

Ela disse ao Mirror: “Eu não poderia imaginar a vida sem ela.”

Daisy, de Fulham, Londres, foi diagnosticada aos 17 anos e, apesar de ter feito cinco operações para remover os cistos, disseram que ela era infértil.

“Aos 23 anos, nunca esperei que me dissessem que era prematuramente infértil.

“Sempre fui maternal e sabia desde cedo que queria ser mãe.

“Essas palavras me deixaram mais determinado do que nunca. Eu estava disposto a fazer e pagar o que fosse preciso. ”

Daisy foi informada de que a única maneira de conceber seria por fertilização in vitro, mas, por ser solteira, ela foi informada que não havia financiamento do NHS disponível.

Ela decidiu vender sua propriedade de três quartos para financiar o tratamento

Daisy entrou em contato com a Harley Street Clínica para testes de fertilidade e consulta e recebeu mais más notícias.

A endometriose se espalhou para as trompas de falópio, parede vaginal e intestino, com menos de um por cento de chance de conceber.

Sua reserva ovariana foi considerada baixa e foi comparada a uma mulher de 35 anos e ela não foi capaz de iniciar a fertilização in vitro imediatamente devido aos novos cistos.

Ela teve que ter um sexto laparoscopia operação para remover os cistos, mas ela não perdeu tempo tentando encontrar um doador de esperma em preparação para o tratamento de fertilização in vitro.

A operação não correu bem e Daisy teve de fazer várias outras operações, incluindo a remoção do ovário esquerdo.

Daisy foi informada de que ela estava ficando sem opções

Seu primeiro tratamento falhou em janeiro de 2019, mas ela permaneceu esperançosa.

Para sua segunda rodada, ela usou um banco de esperma americano, Xytex, e embora apenas um óvulo tenha sido recuperado e congelado, ela estava esperançosa.

“Eu estava tão feliz que as coisas estavam se encaixando. Eu mal podia esperar para me tornar a múmia de alguém. ”

O embrião foi transferido em setembro de 2019 e, duas semanas depois, Daisy ficou maravilhada ao receber um teste de gravidez positivo.

Ela permaneceu solteira e teve o apoio da família e amigos durante toda a gravidez.

Sua melhor amiga, Anna, era sua parceira de parto quando ela nasceu de uma cesariana em junho, e eles se deliciam com o tufo de cabelo com o qual Hope nasceu.

Daisy disse: “Eu não conseguia parar de correr meus dedos pelos cabelos dela e beijá-la”.

Agora que tem sua filha, Daisy planeja fazer uma histerectomia no próximo ano para reduzir a dor que sofre.

O consultor de FIV de Daisy, Dr. Suvir Venkataraman, disse ao jornal nacional que a coisa boa sobre Daisy era sua determinação em ter um filho.

O Dr. Venkataram disse: “Sem a fertilização in vitro, as chances de Daisy conceber um filho naturalmente eram praticamente nulas.

“No entanto, enfrentamos todos esses desafios e vencemos. Little Hope é a prova de que você nunca deve desistir. ”

Você sabia que o IVF Babble fará sua próxima exposição virtual nos dias 3 e 4 de outubro, para se registrar gratuitamente clique aqui

 

 

 

Ainda não há comentários

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Traduzir »